A Corpo a Corpo ouviu a história de três mulheres que voltaram à forma com a ajuda de muita disciplina. Confira aqui os segredos de cada uma delas para fazer as pazes com o espelho

Reportagem: Isabela Leal

Mesmo sem malhar, me mantive ativa em casa 

Luciana Cestini, 30 anos, designer gráfica

Grávidas que mantém a forma

Desde que engravidou, Luciana não conseguiu inserir a

atividade física na sua rotina, mas dá duro no trabalho de

casa e aproveita as três escadas que tem disponível para

queimar um pouquinho mais de calorias

Foto: Christian Parente

"Sempre fui magra e nunca tive problema com a balança. Meu peso geralmente é 58 quilos, o que é excelente para o meu corpo (ela mede 1,70 m). Durante a gestação engordei 12 quilos, mas hoje, após um ano e três meses do nascimento da Nathália, o ponteiro da balança já aponta 59 quilos. Logo após o parto comecei a fazer uma dieta leve, descompromissada, mas visando ao bem-estar da minha filha, e cortei alimentos como doces e feijão, por ouvir falar que causam cólica no bebê. Como eu ia amamentá-la, achei melhor adotar essa medida, mas confesso que a Nathália teve cólicas do mesmo jeito.

O problema foi que meu apetite aumentou durante a amamentação e eu acabei comendo o tempo inteiro! Mas acho que consegui emagrecer porque não parei de me movimentar em momento algum. Durante o tempo de licença-maternidade, levei aquela vida de dona de casa ocupada, sempre limpando alguma coisa, fazendo comida, subindo e descendo escadas. Aliás, a minha casa tem três escadas que são bem íngremes. Porém, em nenhum momento parei totalmente as minhas atividades.

Quando eu penso em reclamar, paro, respiro e agradeço, pois sei que parte do meu emagrecimento eu devo a isso. E claro que a amamentação também tem a sua parcela de ajuda: ainda estou amamentando e a minha filha mama muito! O resultado? Três meses após o parto já estava com o peso atual. A única ressalva que faço em relação ao sucesso para manter a silhueta enxuta é que pratiquei muito esporte dos 14 aos 24 anos. E acredito que o hábito no passado tenha sido importante para que hoje meu metabolismo continue acelerado".

Parar, nem pensar

A designer gráfica Luciana Cestini é a prova de que a malhação é realmente a melhor amiga do corpo bonito. Como ela sempre foi uma pessoa ativa (o vôlei fazia parte da sua rotina), o seu metabolismo é mais acelerado do que o comum, o que favorece uma queima maior de calorias. Desde que engravidou, não conseguiu inserir a atividade física na sua rotina, mas nem por isso ela ficou parada. Dá duro no trabalho de casa e aproveita as três escadas que tem disponível para queimar um pouquinho mais de calorias.