A musculação transformou o corpo de Gabriela Dezan e rendeu a ela o título de campeã mundial de bodybuilding. Conheça a história!

Texto Vand Vieira | Adaptação Ana Paula Ferreira

Antes e depois de Gabriela Dezan

Fotos Acervo Pessoal 

O primeiro contato de Gabriela Dezan, 29 anos, com a musculação se deu por recomendação médica. Ela tinha 15 anos e precisava fortalecer a musculatura para compensar o esforço feito desde criança nas aulas de balé, sapateado e jazz e que vinha causando dores nos joelhos. “Eu era tão magra que chegava a usar duas leggings por baixo do jeans para engrossar as pernas, que achava muito finas”, lembra. 

Em poucos meses, os resultados começaram a aparecer e parar de treinar estava fora de cogitação, mesmo com a crise financeira pela qual a família passou após a separação dos pais. “Eu estudava fisioterapia em período integral e não podia trabalhar. Por isso, decidi vender trufas para arcar com as apostilas e a mensalidade da academia”, conta. Depois de formada, Gabi atuou por dois anos em uma clínica até se mudar para a Bélgica a fim de trabalhar como baby-sitter. “Foi difícil me adaptar à rotina da família para a qual trabalhava porque as refeições eram bem espaçadas, repletas de carboidrato e com muito chocolate de sobremesa”, recorda. 

O corpo, claro, mudou bastante. Apesar de manter seus 62 kg, Gabi perdeu massa magra e ganhou gordura, além de muita flacidez e celulite. Assim que voltou ao Brasil, seis meses depois, ela não só retomou a musculação como decidiu que queria participar de competições de fisiculturismo. Para isso, precisou fazer mudanças grandes no estilo de vida, apesar de já seguir uma rotina saudável. “Quem tem um objetivo como o que eu tinha precisa saber que não há segredo ou milagre: tive que intensificar a musculação e o cárdio (com corrida e escada) e parei de burlar a dieta, mesmo nos fins de semana”, afirma. O primeiro título veio no mesmo ano, como campeã paranaense.

Em seguida, Gabi faturou os campeonatos pan-americano e mundial Sempre focada em suas metas e conquistas no esporte, Gabriela acabou conseguindo o green card (permissão para morar legalmente nos Estados Unidos) e recebeu várias propostas para trabalhar como life coach. Atualmente, ela e o marido, educador físico e expert em nutrição, dão consultoria para cerca de 200 pessoas por mês, tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil (por email e redes sociais), todas interessadas em mudar o corpo, seja emagrecendo, seja ganhando massa muscular inspirados em seu estilo de vida. “É muito legal ver como o esporte é capaz de transformar vidas. Fazer parte desse processo é muito gratificante”, finaliza.

Dicas da Gabi para adotar novos hábitos

Pese os alimentos
Sua nutricionista recomendou 100 g de frango grelhado? É melhor seguir à risca. Caso contrário, você corre o risco de exagerar as quantidades e prejudicar a dieta.

Não saia de casa com fome
Assim, fica mais fácil resistir às tentações. Se for ao supermercado, que seja depois da refeição – e com uma lista de compras para evitar compras por impulso.

Invista na hidratação
“Bebo 4 litros de água por dia, mas quem não é atleta profissional pode tomar 2,5 litros. Além de repor os líquidos, você doma a gula e ajuda o organismo a funcionar direito”, diz.

Quer conferir mais dicas de motivação? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui