Saiba como a farinha de banana verde ajuda na redução de peso

Por Patricia Affonso | Adaptação Rebecca Nogueira Cesar

Farinha de banana verde

Farinha de banana verde ajuda na redução de peso

Foto: Fábio Mangabeira

Depois de alguns estudos, os especialistas constataram que a banana verde é mais rica em fibras do que a versão madura.

“Porém, antes de maturar, a banana não é bem-aceita pelo paladar. Daí a ideia de aproveitar esses benefícios transformando-a em farinha”, explica a nutricionista Flávia Morais.

Por que emagrece? O grande responsável é um tipo de carboidrato presente na casca da fruta, o amido resistente. O nome diz muito: diferentemente de outras versões do nutriente, ele consegue passar intacto pelo intestino delgado e só é fermentado ao chegar ao intestino grosso.

“Isso proporciona diversos benefícios para o organismo, como melhor funcionamento do trânsito intestinal e maior sensação de saciedade. Vale lembrar ainda que o amido resistente retarda a absorção de glicose e de gorduras”, aponta Natália Dourado, nutricionista consultora da Nutricêutica Alimentos Funcionais (Nova Lima, MG). Em média, após duas semanas de uso, é possível notar os efeitos positivos na silhueta.

Outros benefícios: o processo de digestão do amido resistente também tem reflexos benéficos no controle da taxa glicêmica no sangue. “Sendo assim, o consumo da farinha de banana verde é excelente para prevenir o diabetes do tipo 2”, garante Natália Dourado. Além disso, o produto fornece vitaminas do complexo B, que atuam na conversão de energia e no equilíbrio do sistema nervoso; vitamina C, que tem poderosa ação antioxidante; e vitamina A, importante para a saúde da pele.

Recomendação diária: de acordo com Sylvana Braga, nutróloga e especialista em prática ortomolecular (SP), devem-se consumir 2 colheres (sopa) do produto ao dia. “O ideal é que essas porções sejam incluídas no almoço e no jantar. Mas a farinha também pode ser diluída em água e bebida.”

Contraindicações: não há ressalvas. Aúnica recomendação é aumentar a ingestão de líquidos, pois sem hidratação o alto consumo de fibras pode gerar problemas como o ressecamento das fezes.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 260