Resultado de um acordo entre o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), a retirada do sal dos alimentos será gradual até 2022. Saiba mais!

Por Carol Salles | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira



Alimentos industrializados começarão a ser fabricados com menos sódio. A boa notícia é resultado de um acordo entre o Ministério da Saúde e a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia). A retirada do mineral será gradual até 2022, e o foco serão pães, bisnaguinhas e massas instantâneas. 

O consumo excessivo de sal pode acarretar problemas graves, como a hipertensão, risco eminente de infarto e disfunções renais. A recomendação de consumo da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de, no máximo, 5 g por dia (uma colher de chá), no entanto, o brasileiro consome mais do que o dobro disso: cerca de 12 g, segundo o Ministério da Saúde. 

Abaixo, Otavio Gebara, cardiologista do Hospital Santa Paula, de São Paulo (SP), dá dicas para diminuir o consumo de sal no dia a dia:

- Reduza aos poucos, para acostumar o paladar, e não deixe o saleiro na mesa.

- Troque por outros temperos, como ervas, pimenta, limão, cebola e alho.

- Não consuma produtos com mais de 7% de sódio por porção (veja no rótulo).

- Substitua pão de forma por tapioca, macarrão instantâneo por massa de farinha e água e maionese por iogurte.

Quer conferir mais sobre saúde e alimentação? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui