Eles são tantos que, na hora de fazer compras, fica até difícil escolher, não é mesmo? A seguir, confira as vantagens e desvantagens de 9 tipos de adoçantes

Texto Vand Vieira e Helô Oliveira | Adaptação Ana Araujo

Veja vantagens e desvantagens dos adoçantes

Confira vantagens e desvantagens dos tipos de adoçantes mais comuns no mercado

Foto: Danilo Tanaka

Com a ajuda dos endocrinologistas Pedro Assed e Alfredo Cury e da nutricionista Andrea Santa Rosa, todos do Rio de Janeiro, desvendamos as vantagens (e desvantagens!) das principais opções de adoçantes disponíveis no mercado. “Vale a pena lembrar que adoçantes são ideais para pessoas que não podem ingerir açúcar. Se não for seu caso, prefira o açúcar orgânico ou mascavo”, recomenda Assed.

1. Aspartame

Ponto positivo: derivado de uma combinação de dois aminoácidos – ácido aspártico e fenilalanina –, é cerca de 200 vezes mais doce que o açúcar.

Ponto negativo: também é um pouco mais calórico. Cada grama contém 4 calorias.

2. Ciclamato de sódio

Ponto positivo: é ingrediente comum na fórmula de bebidas dietéticas, geleias, sorvetes e gelatinas e tem um sabor residual azedinho, mas não muito forte.

Ponto negativo: por conter sódio, não é indicado para hipertensos.

3. Frutose

Ponto positivo: é proveniente de frutas maduras, alguns vegetais e do mel e, portanto, supernatural.

Ponto negativo: em excesso pode engordar e provocar cáries.

4. Manitol

Ponto positivo: obtido pela redução da frutose, tem sido amplamente empregado pela indústria na produção de gomas de mascar e balas. Não causa cáries.

Ponto negativo: é mais calórico (cada grama contém 4 calorias, contra 0 da maioria dos adoçantes). Quando ingerido em excesso por pessoas sensíveis a ele, pode causar diarreia.

5. Sacarina

Ponto positivo: 300 vezes mais doce que o açúcar refinado, é utilizada em vários alimentos e bebidas sugar-free e de baixa ou zero caloria, incluindo produtos de panificação, geleias, frutas em conserva, doces, coberturas para sobremesas e molhos de salada, além de farmacêuticos e vitaminas. Ou seja, é superversátil.

Ponto negativo: possui sódio, sendo contraindicada para quem sofre de pressão alta ou possui problemas renais.

6. Estévia

Ponto positivo: extraído da planta que dá nome ao produto, é o mais natural de todos.

Ponto negativo: apresenta forte sabor residual e, em alguns casos, gera reações alérgicas. Cheque se você não tem sensibilidade à substância.

7. Sorbitol

Ponto positivo: extraído de algumas frutas e de algas marinhas, é natural e 50% menos doce que o açúcar. Resiste a temperaturas elevadas, ou seja, seu sabor e nutrientes permanecem intactos quando levados ao fogo.

Ponto negativo: contraindicado para obesos e diabéticos.

8. Sucralose

Ponto positivo: aparece no topo da lista quando o assunto é potência – é 600 vezes mais doce que o açúcar! Muito utilizada em produtos light e diet. “Ela tem um sabor agradável e é a mais recomendada pela comunidade científica”, afirma Pedro Assed.

Ponto negativo: contraindicada para quem tem distúrbios na tireoide, porque o cloro, um de seus componentes, prejudica seu desempenho.

9. Xilitol

Ponto positivo: tem sabor bem semelhante ao do açúcar comum. O diferencial é a sensação refrescante que deixa na boca.

Ponto negativo: doses acima de 30 gramas por dia podem causar diarreia.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 325

Assine já a CORPO e garanta 6 meses grátis de outro título