A Organização Mundial da Saúde orienta o consumo de três porções de lácteos por dia. Se ainda assim você fica em dúvida de adicionar o leite ao cardápio, confira alguns motivos que podem te fazer mudar de ideia!

Por Caroline Randmer | Foto Shutterstock | Adaptação Web Ana Paula Ferreira



A Organização Mundial da Saúde orienta o consumo de três porções de lácteos por dia. “O leite e seus derivados são fundamentais para a saúde óssea, a prevenção de problemas cardiovasculares e a manutenção do peso”, conta Ana Paula Del’Arco, nutricionista e consultora da Viva Lácteos — Associação Brasileira de Laticínios, de Brasília (DF).

Se você ainda não se convenceu de que deve incorporá-lo ao cardápio, saiba que existe um alfabeto de razões para fazê-lo.  

Vitamina A: ela atua na visão e no crescimento das células.

Vitaminas do complexo B: auxiliam no metabolismo energético e neuromuscular.

Cálcio: é o principal nutriente envolvido na saúde óssea, sendo que 70% do cálcio alimentar é proveniente do leite e seus derivados. Cada 100 ml de leite contém 120 mg de cálcio, enquanto 100 g de vegetais verde-escuros e legumes oferecem, em média, apenas 35 mg do mineral.

Carboidrato: o do leite também é conhecido como a famosa lactose e contribui diretamente para a absorção do cálcio, do magnésio e do fósforo pelo intestino.

Fósforo: atua em conjunto com o cálcio na formação de ossos para manter a integridade do esqueleto e auxilia no fortalecimento do esmalte dos dentes. Ele também fortalece as membranas de nossas células.

Gorduras: uma das principais funções nutricionais das gorduras presentes no leite é levar para o organismo as vitaminas A, D, E e K, por serem lipossolúveis. Além disso, o leite de vaca possui um isômero conhecido como ácido linoleico conjugado (CLA), que vem sendo associado à melhora da condição cardiovascular e do sistema imunológico, além de apresentar efeito anticancerígeno.  A quantidade de gordura presente em lácteos varia conforme o tipo de leite: integral (3% de gordura), semidesnatado (de 0,6 a 2,9%) e desnatado (máximo de 0,5%).

Magnésio: o mineral participa de diversas funções das células, inclusive no metabolismo de energia.

Proteína: a que está presente no leite é considerada de alta qualidade pela Organização Mundial da Saúde. Isso porque tem alto valor biológico, contemplando todos os aminoácidos essenciais de que nosso organismo precisa.

Selênio: é antioxidante e auxilia o corpo no combate aos radicais livres.

Zinco: atua na formação de enzimas e também ajuda o organismo a combater o envelhecimento das células.

Quer conferir mais sobre nutrição? Então, corra para as bancas ou garanta a sua Corpo a Corpo aqui