Médico Bruno Menezes explica como evitar gordurinhas e alerta: “Comer muito pouco pode fazer você engordar”

Texto: Redação | Foto: Divulgação



Por vezes ganhamos peso de maneira lenta e gradual, sem perceber, e quando vemos já estamos muito acima do peso. Quais são alguns dos fatores responsáveis por isso?

Segundo o médico Bruno Menezes, o primeiro e talvez mais importante que podemos citar é o sono. Uma boa noite de sono pode ser subvalorizada pela maioria das pessoas mas tem um papel fundamental não só na perda de peso como na manutenção da saúde corporal e regulação de diversas funções.



“Necessitamos do período de descanso e repouso do sono para reparar os fatores estressores do dia a dia. E aí não é tão importante o número de horas dormidas mas sim a qualidade do sono. É necessário atingir as fases profundas do sono: alfa, beta, teta e REM, que é a fase onde temos reparação do sistema nervoso autônomo parassimpático e quando há regulação dos hormônios produzidos pelo hipotálamo”, ressalta o médico.

Uma maneira de se avaliar a qualidade do sono além de alguns exames, como a polissonografia, é através de alguns questionários realizados por um médico ou profissional de saúde. Isso também é possível através de gadgets que podem monitorar o sono como os smartwatches: Garmin, Apple Watch. Mas um bom parâmetro é acordar disposto. Ao acordar cansado e com vontade de continuar na cama é um sinal que sua qualidade do sono está ruim.

O mau sono pode desencadear compulsões alimentares, redução do metabolismo basal, diminuição na produção de hormônios como testosterona e hormônio do crescimento (Gh) e desequilíbrio do cortisol, hormônio relacionado ao estresse.

Bruno Menezes também destaca o sedentarismo como fator diretamente relacionado ao ganho de peso, no aumento de risco cardiovascular e no desenvolvimento de doenças crônicas.

O organização mundial da saúde preconiza a realização de pelo menos 150 minutos de atividade física por semana. E se você pratica menos do que isso pode ser considerado sedentário. A realização de atividade física regular além de contribuir para a melhora da composição corporal, reduz o risco de doenças cardiovasculares, melhora o perfil lipídico, reduz o risco de desenvolvimento de diabetes e em indivíduos já doentes melhora vários parâmetros de saúde.

Quanto a alimentação, por incrível que pareça , comer muito pouco pode fazer você engordar. Isso mesmo!

“O nosso corpo gasta energia para manter nossas funções básicas: o coração bater, o pulmão respirar, o sangue circular, que é a nossa taxa metabólica basal. É a quantidade mínima de calorias que seu corpo precisa para continuar funcionando, mantendo somente as funções vitais. Quando você ingere menos calorias do que a sua taxa metabólica basal, o seu corpo entende que você está passando por um período crítico e para manter sua sobrevivência, começa a reduzir seu metabolismo.”

Com o metabolismo reduzido, o corpo não queima mais tantas calorias quanto se gostaria, o que gera uma redução na perda de peso ou o ganho do mesmo.

Bruno Menezes também alerta para o perigo em fazer dietas muito restritivas.

“Como o corpo reduz seu metabolismo? Reduzindo a massa muscular. Então, em dietas muito restritivas o corpo perde apenas tecido muscular e não elimina a gordura. Sem massa muscular, você fica mais fraco, mais flácido, começa a queimar menos calorias que culmina no aumento de peso.”

Alguns medicamentos também podem causar aumento de peso, principalmente os antipsicóticos. Mas se for imprescindível tomar, o correto é que se resolva essa questão para depois se preocupar com o peso.