A musa revela os segredos de sua alimentação para manter a bela forma

Texto Mayara Alves / Fotos Danilo Borges / Realização Tomaz Souza Pinto / Cabelo Marco Antonio de Biaggi / Make Renner Souza / Adaptação Kelly Miyazato

Quando não é possível respeitar o cardápio, a atriz
procura comer opções leves e saudáveis
Foto: Danilo Borges

Apesar de ter opções restritas para suas refeições, Fernanda Souza diz que não passa vontade. “Se quero muito, vou e como um pouco. Malho tanto para poder ter esse conforto. E nem sofro com chocolate, porque não gosto e adoro esse não gostar”, conta a atriz. Sua nutricionista, Patrícia Davidson (RJ), diminuiu o seu consumo principalmente de glúten. “A partir de um exame para detectar os alimentos bons e ruins para ela, consegui identificar que seu metabolismo não se adapta bem ao consumo de arroz e fermento/leveduras presentes em pães, bolo, pizza, vinagre e molho shoyu. Um alimento que não é bom para o organismo, mesmo que integral, não é legal de ser consumido e precisa ser eliminado do dia a dia”, explica a nutricionista. Fernanda entrega que, por já ter trocado antes o pão pela tapioca e pela batata-doce, tem levado as restrições numa boa.

Além disso, ela revelou ter parado com alimentos industrializados e doces. “No lugar, aumentei o consumo de legumes, frutas, verduras e de castanha-do-pará na hora do lanche”, afirma. Mas ela conta que não é do tipo neurótica por alimentação saudável. “Se não tem alimentos sem glúten, por exemplo, eu opto por um pastel integral assado. É melhor consumir um alimento mais saudável a ficar sem comer ou me alimentar com besteiras”, considera.

O que não pode faltar todos os dias é salada de frutas, suco verde/suco detox, fontes de proteína, como queijo, frango, peixe e iogurte, e legumes variados com finalidade detox (repolho, couve-flor, couve, rúcula, agrião, espinafre). “Como fonte de proteínas e carboidratos, priorizamos o feijão em detrimento do arroz. E quando ela faz um treino mais intenso, fazemos uma reposição de proteínas na alimentação na forma de shake pós-treino. Nesses casos, o jantar fica mais leve, sendo somente à base de sopa, salada com proteína ou de uma omelete de claras com legumes”, explica Patrícia Davidson.