O botox deixou de trabalhar apenas linhas faciais na testa e ao redor dos olhos. Agora, a técnica pode ser feita em outras áreas do rosto. Saiba mais

Texto: Carmen Cagnoni | Adaptação: Nathália Henrique

Conheça novos métodos para tratar linhas faciais

Foto: Danilo Borges

O début do Botox (marca da Allergan), no Brasil, aconteceu em 1992, mas fo iem 2000 que a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) o aprovou para tratar linhas faciais na testa e ao redor dos olhos e transpiração excessiva.

Hoje, a substância injetada diretamente no músculo, provocando o seu relaxamento temporário, conquistou o direito de atuar em outros pontos estratégicos da face. “O conceito mudou: tratamos o rosto como um todo, buscando o rejuvenescimento global”, conta Otávio Macedo, dermatologista (SP). “A evolução está em atuarmos também no terço inferior”, explica o médico.

Segundo ele, as aplicações podem ocorrer desde a raiz do cabelo até a base do pescoço. Isso envolve agir, também, nas maçãs do rosto. “Trabalhamos nessa região para obter o chamado triângulo da beleza, formato que revela feições mais jovens. Com o passar dos anos, o rosto vai perdendo contorno, ganhando linhas mais retas”, conta. A duração do resultado é de quatro a seis meses.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 299