Segundo a dermatologista Cristiane Kanashiro, os tratamentos clínicos e cremes ajudam sim a realçar a beleza da pele, mas é preciso mudar alguns hábitos do cotidiano

Texto Estela Lopes | Foto: Divulgação 


A juventude vai passando e as mulheres ficam cada vez mais preocupadas com sua aparência, com sua pele e com seu rosto. Gastam em tratamentos estéticos, cremes caríssimos e esquecem que, para se manter sempre linda e com a pele saudável, é preciso também mudar alguns hábitos de vida.

Para a dermatologista e nutróloga Cristiane Braga Lopes Kanashiro, os tratamentos clínicos, aplicação de lasers, cremes e procedimentos cirúrgicos podem realçar sim a beleza da pele, mas “somente o estado de equilibro interno pode manter essa beleza”.


Confira as dicas abaixo:

Aos 30 anos – a jovialidade esta no auge. Nesta fase, quanto maior o estímulo, para a produção de colágeno, que pudermos oferecer, menor será a flacidez. Para este cuidado algumas dicas são muito importantes: 

  • Aumente a ingesta de frutas, verduras e legumes
  • Coma carne vermelha pelo menos três vezes por semana
  • Hidrate-se, tome muita água!
  • Use filtro solar
  • Use e abuse dos cremes anti-idade, com a orientação do seu dermatologista; 

Aos 40 anos, nesta década, os níveis hormonais apresentam um decréscimo importante, tanto para as mulheres com a menopausa quanto para os homens com a andropausa. Isto se reflete na pele, acelerando o envelhecimento natural

  • Se você ainda fuma, o ideal é parar! Além dos riscos aumentados da incidência de câncer, as toxinas emitidas na fumaça do cigarro aceleram a degradação das fibras de colágeno e elastina, piorando a frouxidão da derme;
  • Faça atividades físicas regulares
  • Mantenha uma ingesta adequada de frutas, legumes e verduras, pois é uma forma natural de reduzir a toxicidade dos radicais livres na pele;   

Aos 50 anos – nesta fase, todas aquelas evidências do envelhecimento ficam mais acentuadas. Além disso, há uma reabsorção óssea e cartilaginosa, resultando na perda da projeção da região malar (maçã do rosto), perda do contorno facial, e flacidez da pele na face e no pescoço. 

  • Manutenção de uma alimentação equilibrada;
  • Prática de atividades físicas regulares;
  • Alguma atividade relaxante, como yoga, meditação, orientação musical,
  • Fazer (se ainda não o faz) uma suplementação vitamínica e de oligoelementos a fim de melhorar o equilíbrio orgânico, e fornecer a pele, unhas e cabelos, nutrientes adequados. 

Acima de 60 anos – a beleza a partir da 6a década de vida é definida pela manutenção de uma pele hidratada e saudável, estendendo-se às unhas e aos cabelos. Claro que todos aqueles sinais – rugas, flacidez, perda de contornos – pioram progressivamente. Mas, nesta fase, é nítida a diferença entre aquelas pessoas que sempre se trataram e aquelas que nunca o fizeram.

Quer saber mais sobre beleza? Assine nossa revista e a receba mensalmente. 
Se você ainda não tem a CORPO deste mês, garanta agora a Revista Corpo a Corpo Ed. 351!