A liderança de Marco Flavio Mastrandonakis sempre foi a de se obter um clima de cooperação e compreensão mútua em favor do paciente

Texto: Redação | Foto: Divulgação



Marco Flavio Mastrandonakis, 54, médico, cirurgião plástico, que formou-se na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo em 1990, sempre teve sua prática orientada pela empatia. A liderança do profissional em uma sala de cirurgia sempre foi a de se obter um clima de cooperação e compreensão mútua em favor do paciente, do ser humano. Ressaltar as qualidades e propósitos de cada um da equipe torna o ambiente colaborativo e muito mais eficiente.

"Para que haja uma comunicação eficiente, é necessária a capacidade de poder se postar no lugar da outra pessoa e tentar ver o mundo com seus olhos. A partir daí, podemos interagir de forma construtiva e sem impedimentos. Este é o poder da empatia", afirma. 

Um acontecimento importante fez o médico, que também é palestrante, repensar sua vida. Ele passou a pesquisar sobre os efeitos da gratidão na felicidade do ser humano. Agradecer pelo já conseguido, pareceu ser o caminho mais seguro para abrir as portas e reconhecer esforços alheios. Isto fortaleceu laços e garantiu um sentimento de reciprocidade por parte de quem era o alvo de sua gratidão.

No Hospital Israelita Albert Einstein, Mastrandonakis é multiplicador do Sistema de Humanização escolhido pela Instituição, o Planetree. O profissional ministra palestras e Treinamentos sobre Propósito, Gratidão, Felicidade, Sorriso e Simpatia.

Marco aprofundou-se em temas motivacionais e de engajamento para que o propósito sempre fosse a primeira motivação de cada um. O método adotado pelo médico foi o do Storytelling Corporativo e os Sistemas Colaborativos de Aprendizado.