As novidades do 74º Meeting da Academia Americana de Dermatologia são cheias de tecnologia: são tratamentos contra gordura localizada, celulite, estrias... vem ver!

Texto Karina Hollo | Adaptação Ana Araujo

Novos tratamentos contra gordura localizada, celulite, estrias e mais

Novos tratamentos corporais são uma chuva de tecnologia!

Foto: Shutterstock

Cientistas, médicos e indústrias de beleza mergulham em estudos e pesquisas para encontrar tratamentos e produtos cada vez mais eficazes, potentes e rápidos. Conversamos com top especialistas brasileiros que estiveram no 74º Meeting da Academia Americana de Dermatologia, que aconteceu em Washington, nos Estados Unidos, e eles elegeram as grandes inovações do ano quando o assunto é tratamentos para combater celulite, eliminar gordura localizada, apagar manchas e melasmas, cicatrizes... Bem-vinda ao futuro!

1. O que promete ser febre aqui no Brasil é o Kybella, uma droga injetável aprovada pelo Food and Drug Administration (FDA) primeiramente para o uso no tratamento da gordura do queixo (papada). Agora a substância finalmente está sendo liberada para tratamento de gordura localizada em pequenas áreas como próximo à axila e ao joelho. “À base de ácido desoxicólico, o Kybella atua na destruição das células de gordura”, explica a dermatologista carioca Daniela Lemes. “Foram apresentados excelentes resultados, mas a droga pode ser perigosa e provocar danos na inervação local, caso seja erroneamente utilizada. Ainda não está disponível aqui no País, mas deverá desembarcar no segundo semestre, após aprovação da Anvisa”, acrescenta a dermatologista Renata Domingues, do Rio de Janeiro. Deve chegar ao Brasil no segundo semestre.

2. Em breve será lançado o Velashape 3. “Agora o aparelho irá tratar não apenas celulite e flacidez, mas também gordura localizada. O protocolo de aplicação é de quatro sessões, com uma hora de duração cada”, adianta Daniela.

3. Vem aí o Sculpture, da Cynosure, um tratamento não invasivo para o contorno corporal com sucção a vácuo + laser para aplicação simultânea. “Ele promete ser muito eficaz na destruição dos adipócitos. Esse equipamento foi um dos principais destaques entre os grandes lançamentos e é indicado para o tratamento de gordura localizada em áreas como abdômen, flancos e culotes. Seus quatro aplicadores podem ser posicionados todos em uma área maior, como o abdômen, ou também, num caso com menor quantidade de gordura na região abdominal, pode ser aplicado simultaneamente na barriga (2 aplicadores) e nos flancos (+ 2 aplicadores). Isso melhora a sessão”, comenta a dermatologista Cláudia Magalhães, de Recife.

4. Para quem sofre com celulite em grau 3 e 4, a novidade é o Cellfina, tratamento em uma única sessão que deve chegar ao Brasil no próximo ano. “Ele é o único que possui autorização do FDA para procedimento invasivo de celulite por propiciar uma subcisão localizada”, conta Daniela. Trata-se de um equipamento que faz a sucção da pele na região a ser tratada por um mecanismo de vácuo e permite a inserção de agulhas finas para realizar a subcisão das lesões. “O equipamento propõe facilitar a técnica de subcisão e permite ao dermatologista atuar com mais precisão na camada de gordura pela sucção e elevação da pele. É indicado para lesões de celulite mais profundas”, explica a dermatologista Juliana.

5. Foram divulgados ainda novos protocolos de associação de técnicas para tratamentos corporais, como a radiofrequência e a criolipólise: a primeira é realizada 15 dias após o uso da segunda, para melhorar os resultados. “Alguns estudos já demonstram que o efeito da criolipólise no tecido causa um processo inflamatório que também estimula a produção de colágeno e evita quadros de flacidez após o procedimento”, finaliza Daniela.

6. A dermatologista Daniela Lemes conta que o laser híbrido deve chegar ao Brasil daqui a dois anos para rejuvenescimento de colo, pescoço, rosto e mãos, e tratamento de manchas, cicatrizes de acne e estrias. “O Halo, da Sciton, combina o laser não ablativo com o ablativo. Ele trata pigmento, rugas e poros dilatados em até duas sessões somente, proporcionando melhora na textura da pele e estímulo de produção de colágeno em menor intervalo de tempo”, explica. “Na prática, já fazíamos isso aplicando simultaneamente o laser de 1340 nm e o Erbium laser de 2940 nm, primeiro um e logo depois o outro. A diferença é que agora eles estão disponíveis na mesma ponteira e no mesmo disparo”, compara Juliana.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 329

Assine já a CORPO e garanta 6 meses grátis de outro título