Confira as novidades em tratamentos e cosméticos para apagar as temidas estrias brancas

Texto Luciana Hruby | Realização Tomaz Souza Pinto | Adaptação Rebecca Nogueira Cesar

Estrias brancas

Técnicas ajudam a acabar com as estrias brancas

Foto: Danilo Borges

Confira as novidades em tratamentos e cosméticos para apagar as temidas e indesejadas estrias

Estrias brancas

“Consideradas cicatrizes, são antigas e não apresentam processo inflamatório. Para melhorar a aparência, é preciso estimular novas fibras colágenas”, diz Christiane Gonzaga. As técnicas abaixo são bastante eficazes para cumprir essa missão:

Laser de CO2 fracionado e laser de erbium glass - Ambos têm afinidade pela água da pele, atingindo as camadas mais profundas, fazendo a coagulação do tecido e estimulando o colágeno. A diferença é que o primeiro vaporiza a epiderme, gerando casquinhas que somem em sete dias. O segundo não faz isso, pois não é ablativo. O laser de CO2 fracionado exige de duas a cinco sessões. O de Erbium, de quatro a oito.

Radiofrequência fracionada - A onda eletromagnética que ela emite atinge em profundidade a pele, causando microperfurações que provocam a produção de fibroblastos e melhoram as imperfeições cutâneas. São indicadas de cinco a oito sessões.

Laser de diodo não ablativo - Ele faz micropontos de coagulação, gerando pequenos machucados no fibroblasto e a contração da pele, o que atenua as estrias e as deixa mais superficiais. Entre cinco e seis sessões, com intervalos mensais, são suficientes.

PRP (Plasma Rico em Plaquetas) - Consiste em retirar, com agulha, amostras de 10 ml a 20 ml de sangue da paciente e separar o plasma, que é rico em fatores de crescimento. Ele é injetado diretamente nas estrias para reparar o tecido e, consequentemente, amenizar a aparência das linhas esbranquiçadas. São indicadas de três a cinco sessões.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 316