O peróxido de hidrogênio substitui o cloro e não agride tanto os cabelos. Ótima alternativa para quem evita natação ou hidroginástica por causa dos danos

Psicina

Quem nada ou faz hidroginástica, deve ter cuidados redobrodados com os cabelos
Foto:ShuterStock

 

Se você adora piscina, mas evita por causa dos estragos que ela causa, temos uma boa notícia! Existe uma substância, o peróxido de hidrogênio, que promete ser bem menos agressiva. O produto evita a irritação nos olhos e não danifica os cabelos da mesma maneira que o cloro.

Mas de qualquer forma, quem entra em piscinas com frequência, seja por lazer, natação ou hidroginástica, tem que redobrar os cuidados com a beleza. "Para se proteger, o melhor é buscar produtos que criem uma camada protetora dos fios. Sempre que for expor os cabelos ao sol, mar ou a piscina, mantenha-os limpos, isto é, sem resíduos de química, gel, ou qualquer outro ativo que não seja o filtro solar capilar ou máscaras e/ou serum protetores", explica a terapeuta capilar Sheila Bellotti (RJ).

Quanto à touca, o melhor é usar a de silicone que costuma vedar. "Toucas de pano deixam penetrar água tratada com os ativos", complementa Sheila.

Quais produtos protegem os cabelos da piscina?

Alguns princípios ativos são eficazes para proteger os cabelos dos danos causados pela piscina. "Formulações capilares que associam, por exemplo, lipoproteínas de trigo, amêndoa e aveia são mais eficazes do que as proteínas comuns. As cápsulas moleculares e o óleo de café extraído de grãos verdes, juntos, diminuem os danos causados pela radiação solar, principalmente UVB, mantendo a integridade da proteína do cabelo", indica a terapeuta.

Segundo estudos, o Peróxido de Hidrogênio, mais conhecida como água oxigenada, é um agente muito utilizado em várias categorias de produtos.  Destaco a citação: “Apesar de seu poder desinfetante não ser tão eficiente quanto o do cloro, peróxido de hidrogênio tem sido muito empregado em piscinas de países europeus (especialmente Alemanha), pois, além de evitar irritações nos olhos e mucosas, é muito menos agressivo ao cabelo e couro cabeludo. Sua concentração nestes ambientes pode variar entre 50 e 150 mg L-1. “Quím. Nova vol.26 no.3 São Paulo May/June 2003”

 

 

Porém, a ação do peróxido de hidrogênio é atacar a membrana lipídica, sendo essa uma das preocupações referentes à integridade física do couro cabeludo e das fibras capilares.  Para se proteger, melhor que você busque produtos que criem uma camada protetora dos fios. Sempre que for expor os cabelos ao sol, mar ou a piscina  mantenha-os limpos, isto é, sem resíduos de química, gel, ou qualquer outro ativo que não seja o filtro solar capilar ou máscaras e/ou serum protetores.

 O uso de bonés e chapéus é indicado somente por uma questão de gosto pessoal, porque a maioria é feita de tecidos normais e comuns, que oferecerem uma proteção física pequen, mas é recomendado para aquelas pessoas que tem pouco cabelo e que o couro cabeludo fica mais exposto as radiações solares. No entanto, vale salientar que o mercado disponibiliza também esses tipos de acessórios de tecido com proteção aos raios UVA e UVB.

Quanto à touca, o melhor é usar a de silicone que costuma vedar.  Toucas de pano deixam penetrar água tratada com os ativos.

Formulações capilares com benefícios inovadores associando, por exemplo, um complexo multifuncional de lipoproteínas lipofilizadas de trigo, amêndoa e aveia comprovadamente mais substantivas aos cabelos do que as proteínas comuns, mais um encapsulado molecular e óleo de café extraído de grãos verdes que diminui os danos causados pela radiação solar, principalmente em UVB mantendo a integridade da proteína do cabelo; hidratação e ainda promove a restauração da vida e do brilho dos cabelos.