Para a homeopata Eliete M M Fagundes, presidente do Instituto Tecnológico Hahnemann, problema também está ligado à ansiedade

Texto: Redação | Foto: Divulgação



Depois de um dia agitado você sente que a cabeça está ardendo? Ou após um período estressante, vê mais fios capilares caindo do que o normal? Saiba que você não está sozinha: o Brasil é o líder em pessoas ansiosas no mundo, com mais de 18 milhões de pessoas nesse cenário.Para a homeopata Eliete M M Fagundes, presidente do Instituto Tecnológico Hahnemann, dores no couro cabeludo estão relacionadas a esse problema, podendo também ter outras causas. 

“Quanto mais aumenta o grau da ansiedade, mais afetará significativamente os sintomas de praticamente todos os problemas relacionados, principalmente aqueles ligados a prurido, queda de cabelos, infecções, micoses. Portanto, o tratamento homeopático é preventivo destes e muitos outros adoecimentos”, pontua.

Ela lembra que existem causas simples, como caspa, excesso de oleosidade ou ressecamento, assim como o uso constante de secador quente ou prancha, uso indiscriminado de produtos químicos, queimadura solar, uso por tempo além do necessário de presilhas, elásticos, chapéu, boné, capacete etc. 

“Após a pessoa ter descartado alguns destes problemas mais simples, deve procurar investigar causas mais graves e existem outras bem mais profundas. Uma causa bem comum, que é a micose mais frequente do couro cabeludo, é derivada da Tinea Capitis, a dermatite, que é uma reação alérgica da pele que, também gera sintomas como vermelhidão, coceira e descamação, podendo ser acompanhada pelo aparecimento de caspa e bolhas e a tricodinia, uma síndrome que gera ardência do couro cabeludo”.

Então, o estresse, ansiedade, sinusite, e herpes zoster, que atingem o 8º nervo craniano, possuem a dor refletida no couro cabeludo. São mais relatadas em população jovem e de meia idade.O tratamento mais certeiroEliete explica que buscar a raiz da dor é a melhor opção, até porque é a saída assertiva para resultados longínquos.

“Na alopatia, existe uma infinidade de remédios que tratarão os sintomas de forma isolada e que amenizarão as manifestações, porém a causa não é tocada. Portanto, o problema pode permanecer indefinidamente, voltando em determinadas épocas ou se agravar em problemas mais complexos, dependendo da pessoa. O meio ambiente é muito adoecedor e, por isso, nos fortalecermos é a melhor saída”, finaliza.

Serviço:www.homeopatias.com ou @institutohahnemann