Se você fica em dúvida quanto a função do Whey Protein para quem pratica exercícios físicos, leia as opiniões de dois especialistas para saber se a proteína de soro de leite pode ser uma aliada, ou não, na hora de potencializar os resultados da academia. Confira!

 Por Kelly Miyazato

Entenda qual é a função do Whey Protein
para quem pratica exercícios

Foto: Shutterstock

O Whey  Protein é considerado o “padrão ouro” da proteína para desenvolver e sustentar a musculatura.  Segundo Luciano Negreiros, endocrinologista de celebridades, como Débora Nascimento e Juliana Alves, os atletas precisam de mais proteína em sua dieta, ou seja, muitas vezes maior que a dose diária recomendada. 

A proteína de soro de leite é a escolha preferida para os atletas de todos os tipos. O pó extraído, se associado a uma dieta balanceada e à prática esportiva, por ser rico em proteína, sua digestão é mais lenta e retarda a vontade de comer. De acordo com Paula Castilho - nutricionista da Nação Verde, se usado corretamente, ajuda àqueles que precisam perder peso. “O Whey Protein ainda estimula o metabolismo, acelera a queima calórica e evita que se perca massa magra. Batido com água, leite ou frutas, esse tipo de suplemento pode ser ingerido pela manhã ou à noite. É importante, porém, que converse com o médico ou nutricionista antes de começar a tomar o suplemento por contra própria, para avaliação da quantidade certa para cada caso”, explica.

Atletas, praticantes de atividades físicas, pessoas fisicamente ativas e até mesmo portadores de doenças, vêm procurando benefícios nessa fonte protéica. Essas proteínas do leite, além de seu alto valor biológico, possuem peptídeos bioativos, que atuam como agentes antimicrobianos, reguladores da função imune, assim como os fatores de crescimento”, comenta Negreiros.

Negreiros afirma que apresentam um excelente perfil de aminoácidos essenciais, os quais nosso organismo não produz, tais como: triptofano, cisteína, lisina, leucina, isoleucina e valina; sendo os três últimos, conhecidos como aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA), que favorecem o anabolismo, assim como a redução do catabolismo protéico, favorecendo o ganho de força muscular e reduzindo a perda de massa muscular durante a perda de peso.

"De qualquer forma, é importante ficar atenta, já que muitas fórmulas contêm açúcar, gordura e podem contribuir para engordar. Assim como, o excesso de proteína pode comprometer a função renal. E vale lembrar que o consumo do Whey Protein é contraindicado nos casos em que a ingestão de proteínas é restrita, como doenças renais e hepáticas, intolerância alimentar e para pessoas alérgicas à proteína do leite. Ou seja, o suplemento alimentar, como sugere o nome, apenas vem à complementar determinada falta de nutriente(s) de uma dieta”, alerta Paula.

“Embora ele possa ser indicado, vendido, comprado e consumido por qualquer pessoa, a facilidade faz  que muitos indivíduos usem o suplemento sem saber se de fato precisam dele, qual a quantidade ideal para o seu organismo e se possuem condições de saúde para suportar essa sobrecarga de proteína. Logo, seja consciente  e conte sempre com a orientação e a prescrição de um especialista”, reforça e conclui Negreiros.

 

*Agradecimentos ao Luciano Negreiros, endocrinologista e à Paula Castilho- Nutricionista da Nação Verde.