Conheça o que é o enfarte e quais são as causas mais comuns

Texto Amanda Nicácio e Priscila Pegatin | Edição Cáren Nakashima | Adaptação Rebecca Nogueira Cesar

Enfarto

Estresse é uma causa comum do enfarto

Foto: Morgade

Laura tinha apenas 19 anos quando enfartou. O cenário: preocupações constantes com a família, rotina atribulada (trabalhar e estudar) e má alimentação. Tudo isso fez que seu cansaço físico e mental só crescesse. A sorte foi que Laura estava no hospital quando o enfarte aconteceu, visitando uma tia que estava internada.

Depois do episódio, a vida dela mudou. Hoje, com 30 anos, ela sofre de arritmia cardíaca e consulta regularmente o cardiologista. O modo como cuida da própria saúde e bem-estar também passou por mudanças. Hoje, ela procura dormir oito horas por noite, indicadas pelo médico, faz caminhadas regularmente, além de ter uma alimentação equilibrada, com um cardápio repleto de verduras, legumes e frutas. Combater o estresse também deve ser prioridade.

O inimigo

Um ataque cardíaco ocorre quando o fluxo de sangue que leva oxigênio ao coração é reduzido ou interrompido. Isso acontece porque as artérias coronárias – que são encarregadas de irrigar o órgão de sangue – podem ficar entupidas pelo acúmulo de placas de gordura que formam coágulos e entopem as veias. Quando esse coágulo sanguíneo bloqueia o fluxo de sangue, ocorre o enfarte. E ainda pode fazer todo o tecido muscular abaixo do bloqueio morrer.

E para quem ainda acha que só os homens sofrem desse mal, segundo José Luiz Aziz, cardiologista e diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), na década de 1990 a cada cem mortes por enfarte do sexo masculino havia 17 mortes de mulheres. Hoje, o número subiu para 50. E esse aumento pode estar diretamente associado ao ritmo de vida mais atribulado da ala feminina. Portanto, quem é muito estressada e/ou apresenta altos níveis de colesterol ruim está na zona de risco, sim. Mas o problema também pode ser genético.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 317