Após o diagnóstico da depressão, a primeira mudança deve ser feita no comportamento. E com ajuda da família é possível criar um ambiente saudável, que contribui para a melhoria dos resultados do tratamento. Saiba mais!

Por Kelly Miyazato

A depressão pode ser diagnosticada como: leve, moderada ou grave
Foto: Danilo Borges

Não são todos os tipos de depressão que precisam, necessariamente, de intervenção medicamentosa. Segundo Maura de Albanesi - psicoterapeuta do Núcleo de Renascimento, primeiramente deve ser feita a análise dos sintomas, para identificar qual o grau da doença, ou seja, se é leve, moderada ou grave.

“O tratamento é proposto a paritr do diagnóstico. Nos mais graves, há prescrição de remédios, porém o acompanhamento do profissional, em todos os casos, é importante. No entanto, em todos os graus, a primeira mudança deve ser feita no comportamento”, explica.

"A família também precisa de orientação. A informação é muito importante. Todos devem estar envolvidos no tratamento e devem colaborar para a criação de um ambiente saudável. Depressão não é um bicho de sete cabeças", reforça.

 

*Agradecimentos à Maura de Albanesi - psicoterapeuta do Núcleo de Renascimento.