Quem adotou a corrida – que é uma atividade aeróbica intensa – com o intuito de emagrecer, muitas vezes não vê o ponteiro da balança se mexer. Veja as principais razões

Texto: Cáren Nakashima | Adaptação: Nathália Henrique

Por que você corre e não emagrece? 

Foto: Shutterstock

A lei da compensação

Porque está correndo, você acha que pode comer mais, certo? Errado. “Se o objetivo é perder peso, o aumento do consumo de calorias vai contra balancear a atividade física e o gasto calórico não será deficitário”, explica Theo Webert, médico nutriendocrinologista, pós-graduado em medicina esportiva e metabologia (SP). Segundo o médico, o que você deve aumentar é o grupo alimentar adequado à atividade. “Depois da corrida, por exemplo, o ideal é ingerir um carboidrato de rápida absorção e uma proteína, para realizar a manutenção do metabolismo”, completa.

Medição errada

Um dos benefícios do esporte é ajudar o corpo a ganhar músculos e queimar gordura. E, você já sabe, músculo pesa mais do que gordura. Portanto, esqueça a balança e veja o resultado em suas medidas.

Monotonia no treino

Em algumas semanas o exercício vira um hábito, o que pode paralisar a queima de gordura. De acordo comTheo Webert, o ideal é fazer treinos intervalados de alta intensidade, de forma que a frequência cardíaca oscile e ative de forma mais efetiva o metabolismo, para que ele use a gordura estocada no corpo

Alterações no organismo

Distúrbios da tireoide deixam o metabolismo mais lento, bem como o desequilíbrio hormonal – entre estrógeno, progesterona e testosterona –, que ainda gera maior acúmulo de líquido no corpo, sensação de inchaço e até problemas circulatórios”, lista Theo Webert.

Revista Corpo a Corpo | Ed. 315